Cambará do Sul "Terra dos Cânions"

O planalto gaúcho foi  ocupado, antigamente, pelos antepassados dos índios Kaingang: Guaianás, Coroados, Xogleng e Botocudos, que habitavam entre os pinheirais e se abrigavam em grutas ou casas semi-subterrânes.

No ano de 1732 inicia a política de concessão de sesmarias,como uma estratégia portuguesa de dominação dos territórios desocupados, estesistema foi abolido em 1822. Em 1850, com a lei de terras, a concessão foi substituída pela venda.

Os Sesmeiros construíam capelas aos santos devotos, o que atraiam moradores, propiciando a delimitação territorial de jurisdição eclesiástica para o estabelecimento de uma freguesia. Condição esta, por exemplo, foi dada aos povoados de Cima da Serra (São Francisco de Paula).

Fundação de Cambará do Sul está associada a criação de sesmarias na região.

O início da urbanização da atual Cambará se deu com a doação de 20 hectares de terras para construção de uma capela em devoção a São José. Daí o nome original do povoado: Capela de São José do Campo Bom (primeiro nome de Cambará do Sul). A doação foi realizada por Dona Úrsula Maria da Conceição, em 17 de abril de 1864, em pagamento de uma promessa.

Em 1963, Cambará do Sul é elevada à condição de município, a partir de sua emancipação do município de São Francisco de Paula. Em 1980, o Estado já dividido em 232 municípios, mas destes apenas 21 de desmembraram de Santo Antonio da Patrulha, um dos quatros primeiros município do Estado.

Ou seja Santo Antonio da Patrulha é vô de Cambará do Sul e São Francisco de Paula é Pai de Cambará do Sul.

Cambará do Sul está localizado na região nordeste do Rio Grande do Sul, com uma área aproximadamente de 1.800km² e com um população em torno de 7000 mil habitantes. Suas principais fontes econômicas são :Extração da madeira, turismo (em 2016 chegando em torno de 200 mil turistas), e agropecuárias.

 

Os Parques